Poluição das águas

Compartilhe sustentabilidade para alimentos, consumo consciente, vida, transporte, casa e educação:

A poluição das águas é um fenômeno que ocorre quando elementos químicos, físicos ou biológicos contaminam a água. Isso pode ser nocivo para tudo que depende dela, como as plantas e o ser humano. Essa alteração nas propriedades da água traz muitos prejuízos.

Apesar de o planeta Terra ser coberto em 70% de água, apenas uma pequena porção dela é potável. Isso vale para nós e para os animais. A partir do momento em que a poluição ameaça a condição das fontes de água no planeta, isso representa um grande risco nesse recurso finito.

Apesar de existirem alternativas para se tentar recuperar águas poluídas, o processo não é nada fácil. Um grande exemplo é o do Rio Tietê. Há muito tempo, existem tentativas de recuperação do rio, mas, por diversas questões que vão além das técnicas em si, não se obtém um resultado positivo.

Como diz o ditado, é melhor prevenir do que remediar. Portanto, é importante conhecer mais sobre o que provoca a poluição das águas, além de suas consequências. Dessa forma, é possível cuidar mais dos nossos recursos para que se possa evitar desastres ambientais.

Causas da poluição da água

Existem diversas possíveis causas para a poluição. Geralmente a ação humana é o que compromete as fontes hídricas. De uma forma geral, existem três grandes atividades que representam um maior risco à condição da água no planeta. Elas são as atividades agrícolas, industriais e domésticas.

Atividades agrícolas

É uma das atividades que possui uma grande possibilidade de fazer estragos aos recursos hídricos. Isso porque, por ser uma atividade que é realizada com certa proximidade de fontes de água, como rios, e com certa probabilidade de atingir lençóis freáticos, pode acabar afetando a água potável de muitos animais, plantas e pessoas. A utilização de agrotóxicos pode ser prejudicial, pois eles podem penetrar no solo e afetar os lençóis freáticos. O uso de fertilizantes também pode provocar a contaminação da água.

Atividades Domésticas

A falta de cuidado com o que se joga pela pia pode ser bastante prejudicial às fontes de água. Isso porque o esgoto pode chegar até corpos de água e levar, por exemplo óleo de cozinha usado, que acaba não recebendo o devido cuidado de descarte.

Entretanto, algo bastante comum na cozinha pode acabar afetando o ambiente sem que a maioria das pessoas saiba: o detergente. Ele pode alterar o crescimento de algas e fitoplâncton, além de quebrar a tensão superficial da água. Isso pode alterar a disponibilidade de oxigênio no meio.

Além disso, a falta de saneamento básico pode ser um grande inimigo das águas. Isso acaba gerando, muitas vezes, ligações clandestinas de esgoto para rios, lagos e afins. Isso pode contaminar essas fontes de água de forma grave.

Atividades Industriais

A indústria pode ser um grande fator de poluição. São inúmeras as indústrias que apresentam dejetos e resíduos que podem representar um risco ambiental. A indústria petrolífera é o principal exemplo. Já houve diversos casos de vazamento de petróleo no mar e as consequências desses eventos foram desastrosas para a fauna marinha local.

Além disso, indústrias têxteis também podem afetar o ambiente com corantes, por exemplo, além de outras substâncias químicas utilizadas em seus processos. Existem diversos outros exemplos dentro dessas atividades de como pode ocorrer a poluição das águas, mas a maioria se agrupa nessas três grandes áreas.

Tipos de poluição da água

Para entender quais são as principais formas de poluição da água, devemos entender que a poluição pode se apresentar de quatro diferentes formas. São elas: Poluição térmica, sedimentar, química e biológica.

Poluição térmica

É uma poluição “invisível”. Pode parecer estranho falar de poluição térmica, mas ela representa um problema que vem se agravando, ainda mais com o constante aumento de temperatura no planeta dado o efeito estufa. Se a temperatura da água aumenta, pode representar uma mudança grave no ambiente, podendo afetar certas espécies de animais que vivem adaptadas a uma determinada temperatura.

Entretanto, esse pode não ser o pior problema da poluição térmica. Apesar de os peixes viverem na água e não respirarem o nosso ar, eles também dependem de oxigênio para sobreviver. Esse oxigênio é filtrado da água pelas guelras. Portanto, é necessário que haja oxigênio disponível na água pra que eles possam “respirar”. Porém, a quantidade de oxigênio na água diminui com o aumento da temperatura da água.

Para entender porque isso acontece, podemos olhar para os refrigerantes. Eles possuem gás carbônico dissolvido em sua porção líquida. Porém, quando mudamos as condições de temperatura ou pressão, esse gás carbônico se dissocia do líquido e volta ao estado gasoso. Você pode perceber isso quando abre o seu refrigerante. A condição de pressão mudou, causando essa evasão de CO².

Você também pode perceber que quanto mais quente o refrigerante está, mais gás escapa ao abrir. O oxigênio presente na água funciona da mesma forma. Quando aumenta a temperatura, ele escapa da água e volta a seu estado gasoso. Vale lembrar que não é o oxigênio de H²O, é de fato o gás que respiramos, mas estando dissolvido.

Essa mudança na disponibilidade de O² afeta muito a população de animais do ambiente. Não é raro observar um rio ou lago que sofreu com esse aumento de temperatura e resultou em centenas de peixes mortos. Muitas pessoas pensam que pode ter sido uma poluição com produtos químicos ou algo do tipo, mas a poluição térmica também mata os peixes dessa forma.

Poluição sedimentar

Aqui o problema ocorre por conta de partículas que estão suspensas na água. Isso pode vir diretamente do solo, formando aquela água barrenta. Isso pode ocorrer naturalmente por conta de erosão, de desmatamentos ou de extração de minérios.

Os desastres de Mariana (2015) e Brumadinho (2019) são exemplos desse tipo de poluição, porém em uma escala muito maior. No caso de poluição sedimentar, a água barrenta pode diminuir a presença de luz do sol na água, afetando a fotossíntese de plantas e algas, além de afetar espécies animais também. Esse é o tipo de poluição hídrica mais comum.

Poluição Química

A contaminação por resíduos químicos, infelizmente, é bastante corriqueira. Ela pode acontecer de forma acidental ou intencional. Entretanto, é muito comum que indústria despejem seus resíduos em fontes de água. A indústria têxtil acaba fazendo isso ao liberar corantes e produtos químicos no ambiente após o tratamento dos tecidos. Como o tratamento desses resíduos pode representar um custo extra, alguns cometem esse tipo de atitude prejudicial.

Outra possibilidade é a da contaminação por resíduos da agricultura. Agrotóxicos podem penetrar no solo até chegar em lençóis freáticos, chegando também em rios. Isso pode ser prejudicial a espécies de insetos das proximidades, além de plantas, no caso de o agrotóxico ser um herbicida. Isso afeta a população animal em cadeia, pois os resíduos se acumulam nos corpos dos animais.

Fertilizantes também chegam na água de forma similar. Quando esses fertilizantes compostos de nutrientes chegam à água, eles favorecem o crescimento de algas e plantas aquáticas. Isso resulta numa diminuição da quantidade de oxigênio similar ao que ocorre com a poluição térmica.

Poluição Biológica

Talvez a mais famosa, ocorre com o lançamento de esgotos domésticos e industriais diretamente na água. Além de poderem atingir também os lençóis freáticos. Proteínas, gorduras, carboidratos e bactérias são a composição dessa poluição, que vem, principalmente de fezes e restos de comida.

Para que ocorra a decomposição desses resíduos, devem haver microrganismos responsáveis por isso. Eles, em sua maioria, também precisam de oxigênio para sobreviver. Quanto mais “comida” para eles, maior será seu metabolismo, sua multiplicação e também a quantidade de oxigênio consumida.

Isso afeta o quanto fica disponível para outros organismos, podendo resultar na morte dos mesmos. Além disso, os nutrientes, quando são simplificados por esse processo de decomposição, ficam disponíveis para uso de algas e plantas aquáticas. Então ocorre o mesmo problema de crescimento anormal da população dessas espécies. Esse processo é denominado eutrofização.

As fezes contidas nos detritos de esgoto trazem os chamados coliformes fecais, ou seja, bactérias conhecidas como E. coli. Esse é um exemplo de microrganismo que pode estar presente, podendo haver muito mais, como as S. aureus. Esses microrganismos podem causar muitas doenças. A S. aureus é a responsável pela superinfecção MRSA, quando estas adquirem resistência ao antibiótico meticilina.

Isso pode ser um problema real, pois rações animais são adicionadas de antibióticos para impedir infecções na criação. Esse encontro de antibióticos e bactérias na água pode induzir a formação de uma população resistente a eles. Muitos se preocupam com possíveis hormônios em frangos, mas o grande perigo pode estar na adição de antibióticos a sua alimentação.

Outras doenças podem ser espalhadas na água contaminada, como amebíase e diarreia. Essas podem ser fatais em populações mais pobres, configurando uma das mais graves consequências da poluição da água. Cerca de 10 milhões de pessoas morrem em decorrência de doenças espalhadas pela água, enquanto 250 milhões são contaminados.

Fontes de poluição da água

Há uma diferença no que se considera uma fonte de poluição da água. Existem as fontes pontuais e fontes não pontuais, ou difusas. No caso das fontes pontuais, a poluição ocorre em um ponto de fácil identificação, como uma única saída de esgoto clandestina. Como o nome diz, é apenas um ponto, o que facilita a correção. Já na fonte difusa, não existe algo claro, mas diversos pontos de poluição, não há um foco específico. Esse é o caso do chorume residual de aterros sanitários.

Efeitos da poluição das águas em humanos

Como já abordado em outros momentos, a poluição da água representa um grave problema para o ser humano. Águas poluídas podem ser vetores de doenças que podem ser até mesmo letais. Isso contribui para cerca de 60% da mortalidade infantil no mundo. Pode acontecer de até mesmo a poluição de um rio ou mar atrapalhar na economia, sendo uma fonte de turismo ou outras atividades econômicas, como a pesca.

Efeitos da poluição das águas no meio ambiente

Já no meio ambiente, o impacto pode ser devastador. Morte de animais ou até mesmo de ambientes inteiros, alterações na biodiversidade e no ecossistema, entre outros problemas. O mundo não é apenas dos humanos, a poluição pode causar uma grande interferência na natureza. Até mesmo microrganismos importantes podem ser ameaçados pela poluição.

Existe muitas bactérias que o ser humano desconhece e que podem apresentar moléculas com potencial para resolver muitos problemas da humanidade, como algumas doenças. Entretanto, desastres como o de Mariana podem afetar até mesmo essas formas de vida que não sabemos o quanto são e podem ser importantes para nós.

Poluição da água: medidas de tratamento

Existem diferentes caminhos de combate à poluição. Como forma de tratamento desse problema, existem tratamentos de água para consumo, com uma purificação da mesma; tratamento de águas residuais, tratando das águas que saem dos esgotos ou que escorrem das chuvas, ou mesmo o tratamento de efluentes industriais.

Todos esses processos buscam purificar ao máximo possível a água para que não atinja o ambiente de forma negativa. Infelizmente, ainda existe muito descarte clandestino, que não passa por esse tratamento, o que dificulta a atuação dessas medidas.

Poluição da água: o que fazer

Se você quer saber como evitar a poluição das águas em sua própria casa, saiba que existem algumas ações que você pode tomar. Entre elas estão o descarte de lixo corretamente, além da diminuição da quantidade do mesmo, evitar dar descarga em remédios, camisinhas e fraldas, por exemplo, além de evitar o descarte de óleos, tintas e solventes pelo ralo. Assim, você tem como diminuir a poluição da água a partir de suas próprias atitudes e contribuir para um mundo melhor, mesmo que com pequenas atitudes.