Lixo orgânico

Compartilhe sustentabilidade para alimentos, consumo consciente, vida, transporte, casa e educação:

Todos os resíduos de lixo possuem uma origem. Tudo o que nós vestimos, comemos, utilizamos e assistimos provocam impactos no meio ambiente. Há os produtos que geram mais impacto e os que geram menos impacto, mas dificilmente algum consegue passar ileso em relação a isso.

O que é lixo orgânico

No caso dos lixos orgânicos, o resíduo é proveniente de uma matéria orgânica, seja ela vegetal ou animal. No caso das situações do dia a dia, o lixo orgânico é, em sua maioria, proveniente de alimentos que foram utilizados nas residências e demais estabelecimentos. Ele se difere dos resíduos inorgânicos (vidro, metal, plástico) e, por isso, possui uma maior flexibilidade de uso em relação ao em seu descarte.

É o tipo de resíduo que causa menos danos ao ambiente, visto que é fruto de materiais naturais que são de fácil decomposição. Mesmo assim, para que isso ocorra, é fundamental que sejam descartados da melhor forma possível.

Por conta da variedade de matéria orgânica disponível em nosso planeta, são vários os tipos de lixo orgânico. Eles vão desde restos de alimentos, sejam eles vegetais ou carnes, papéis utilizados para os mais diversos fins, cascas de ovos e de demais frutas e legumes, folhas e caules de madeira, até os dejetos que saem do organismo humano.

O melhor destino para os lixos orgânicos

A separação de lixo não é um tema com muita notoriedade na sociedade. Por conta disso, muitas pessoas se questionam sobre qual é o melhor destino para os lixos orgânicos. O lixo orgânico pode ser uma fonte muito positiva de nutrientes para o solo, por isso, uma das melhores maneiras de descartá-lo é através da compostagem. Tendo isso em vista, é fácil perceber que há muito que pode ser feito com esse tipo de lixo.

Esses resíduos, quando utilizados da forma correta, podem contribuir muito para o cultivo e plantio de pequenas hortas. É fundamental que se faça a separação adequada e que se reaproveite o que for necessário a fim de contribuir para que o desperdício seja evitado no planeta.

Se mesmo assim você não possui tempo para o cultivo de hortas e  para a compostagem e, por isso, prefere descartar o lixo orgânico, saiba que a cor da lixeira para a separação correta nestes casos é a marrom, que também possui o símbolo característico dos materiais recicláveis, as três setas formando um ciclo.

Realizar a separação do lixo é fundamental para conseguir manter o equilíbrio dos ecossistemas, pois há resíduos que demoram muito tempo para desaparecerem da face terrestre. Muitos lugares já investiram muito nessa separação, pois perceberam que é uma das soluções possíveis para as catástrofes ambientais existentes.

O caso do lixo orgânico ainda possui um benefício a mais: sua separação e uso correto ainda conseguem gerar benefícios muito positivos.

Para que serve o lixo orgânico

O lixo orgânico pode ser aproveitado para fins específicos. Reaproveitar o lixo orgânico foi uma tarefa conseguida por alguns pesquisadores nas últimas décadas, que é de fundamental ajuda para o meio ambiente. Ele pode ser utilizado para a realização da compostagem, por exemplo, se pensarmos na área da agricultura. A decomposição dos resíduos naturais faz com que a terra possa absorver alguns nutrientes de que precisa para o processo de plantio ser bem-sucedido.

Além disso, é por meio do lixo orgânico que também se cria o que é conhecido como biogás, uma fonte de energia renovável que tem como base o metano e o gás carbônico que é produzido nos aterros sanitários.

Lixo orgânico e inorgânico

Há dois grandes grupos de resíduos: os orgânicos e os inorgânicos. Do ponto de vista ambiental, os resíduos orgânicos, por englobarem matérias naturais, são muito menos prejudiciais à natureza, enquanto os resíduos inorgânicos, que abrangem os plásticos e todos os seus derivados, como o isopor e o metal, por exemplo, poluem muito mais e possuem um tempo de decomposição muito maior.

Um canudo plástico jogado no mar, por exemplo, ou mesmo uma simples sacola de mercado, podem trazer grandes prejuízos ao habitat dos seres que ali vivem. É muito corriqueiro encontrar vestígios plásticos no interior da barriga de animais marinhos e, obviamente, isso gera um grande desequilíbrio no ecossistema deles.

Há cidades, por exemplo, que passaram a proibir o uso de canudos plásticos, obrigando os comércios a adotarem medidas mais sustentáveis, e supermercados que começaram a incentivar os clientes a não utilizarem sacolas. Essas são medidas emergenciais que conseguem mostrar um grande problema social: além do consumo desenfreado por parte das pessoas, há o consumo desenfreado que necessita de muitas embalagens para o produto final.

Basta pensar num simples delivery de comida num jantar em casa e analisar quantas embalagens plásticas a encomenda traz, além de talheres, sachês de molhos e sacolas para os recipientes todos. É urgente, portanto, pensar em medidas alternativas que sejam capazes de minimizar os impactos ambientais, do contrário o planeta continuará a sofrer por conta do desperdício de recursos.

Talvez seja a hora de desenvolver uma autorreflexão para pensar na quantidade de tempo que um lixo – utilizado apenas por alguns minutos – demora para se desfazer no ambiente. Esse é o problema dos resíduos que não pertencem ao grupo de lixos orgânicos. Não geram apenas impacto para a produção, mas também para o descarte.

Tipos de lixo orgânico

Para que a coleta seja mais eficaz, vale a pena saber quais são os exemplos de lixo orgânico mais comuns no dia a dia. Assim, a separação consegue ser realizada da melhor forma e torna-se possível escolher o destino desejado. Os principais exemplos de lixo orgânico são os que envolvem matérias naturais que estão todos os dias presente nas casas da maioria das pessoas.

Uma dica importante é deixar na cozinha uma lixeira própria para esses resíduos, de modo a facilitar a possível futura reciclagem.

O lixo orgânico e a reciclagem

Reciclar é a palavra de ordem nos dias de hoje, por isso é tão importante ter atenção aos lixos que são produzidos. Quanto menor for a quantidade de lixo, melhor para o meio ambiente, mas, diante da impossibilidade de zerar o consumo de lixo, é fundamental optar, em sua maioria, por um lixo orgânico que consiga ser facilmente reciclado e reutilizado. Há muitas empresas que trabalham exclusivamente com material orgânico e conseguem levar aos clientes a conscientização necessária sobre o descarte adequado.

Optar por uma dessas empresas é uma forma de contribuir para a melhora ambiental, já que há ilhas de plástico nos oceanos que desequilibram completamente os ecossistemas naturais do planeta.

O lixo orgânico precisa ser a principal escolha, quando for possível optar, para que haja um maior impacto do consumo sobre a natureza.

A reflexão é necessária, principalmente no momento das compras. Um exemplo que bem ilustra atitudes cruéis em relação ao ambiente é a utilização de embalagens plásticas para embalar frutas já descascadas, como a tangerina. A natureza oferecia uma “embalagem” natural que era suficiente, mas na ânsia de uma suposta praticidade, a empresa resolveu descascar uma fruta para produzir mais lixo.

Quando se fala em sustentabilidade, esse é um exemplo de medida que deve ser repudiada por conta da sociedade, já que todos sofrem os impactos de um consumo desenfreado.