Coleta seletiva

Compartilhe sustentabilidade para alimentos, consumo consciente, vida, transporte, casa e educação:

A humanidade, desde os primórdios, deixa resíduos por onde passa. Antigamente, no entanto, esses resíduos eram predominantemente de materiais naturais, que poluíam menos o ambiente.

coleta seletiva

Nos dias de hoje, com o avanço da tecnologia e a variedade de materiais disponíveis, são muitos os diferentes tipos de resíduos gerados. Pensando nisso e, especificamente, no impacto ambiental que a produção desses resíduos tem, surgiu um fenômeno interessantíssimo designado como coleta seletiva. Fique atento às informações a seguir para perceber o que é esse tipo de coleta e como ela pode ser útil à sociedade.

O que é coleta seletiva de lixo

Boa parte das pessoas acredita que faz a sua parte quando apenas não deposita os lixos ao chão. A verdade é que, diante do atual padrão de consumo, essa prática não é suficiente. Não basta apenas depositar os lixos em sacos plásticos e descartá-los diariamente para as empresas responsáveis por recolher o lixo.

É preciso ir mais além para que, de fato, o impacto produzido pelos resíduos gerados pelas pessoas diminua. Pensando nisso, foi criada a coleta seletiva, que consiste num descarte consciente, onde os resíduos são previamente separados pelas pessoas que os geram de acordo com o material de que são feitos.

o que é coleta seletiva

Isso significa que, ao invés de um depósito único, são criados vários depósitos para os distintos materiais. São eles o plástico, o papel, o vidro, o metal, a madeira, os resíduos orgânicos, os resíduos radioativos e os resíduos hospitalares. A separação não é um passo único, pelo contrário, é apenas o passo inicial para o que realmente importa: a reciclagem dos materiais.

Coleta seletiva e reciclagem

Após a separação por parte do gerador de lixo, nas cidades em que há a coleta seletiva, os resíduos são encaminhados para os centros de triagem. Lá, os materiais são separados, prensados e reciclados. Após, são enviados para as respectivas indústrias de reciclagem.

A reciclagem é fundamental para evitar desperdícios e aproveitar ao máximo cada material oferecido pelo meio ambiente. Se não fosse a reciclagem, os materiais levariam décadas e séculos para conseguir chegar à decomposição. Dessa forma, além de contribuir para a degradação natural, a reciclagem ainda ajuda para a geração de renda, visto que há indústrias específicas neste ramo.

O papel reciclado, por exemplo, é presente em boa parte da sociedade e movimenta uma grande indústria por trás de todo o processo de reciclagem.

A importância da coleta seletiva

A coleta seletiva é fundamental para a busca de um equilíbrio maior com a natureza. Estudos já comprovaram que o ritmo de consumo humano não é compatível com a vida na Terra.

Pensando por esse lado, se o consumo continuar neste caminho e o descarte de lixo continuar de forma inconsequente, a beira do abismo chegará muito mais rápido do que imaginamos.

É essencial tentar minimizar ao máximo os prejuízos, sobretudo agora com a tecnologia tão avançada que temos. Para isso, é imprescindível que se comece a refletir sobre a importância da coleta seletiva para a sociedade de uma forma geral.

Benefícios da coleta seletiva

Há incontáveis benefícios atrelados à coleta seletiva. O principal, do ponto de vista ambiental, é minimizar os danos causados ao meio ambiente por conta do descarte de lixo realizado de forma incorreta. Esse descarte gera prejuízos inestimáveis ao meio ambiente e aos animais que vivem em determinada zona, prejudicando os seus respectivos ciclos naturais e fazendo com que espécies inteiras sejam ameaçadas.

Já seria um enorme benefício conseguir preservar os habitats naturais, mas, além disso, a coleta seletiva ainda gera renda. Há muitas indústrias de reciclagem que levantam todo o seu capital por meio dos resíduos que vêm da coleta seletiva.

Além disso, em níveis menores, também há muitos catadores de materiais recicláveis que garantem a renda da família com a coleta de lixo reciclável. São trabalhadores fundamentais à sociedade, visto que conseguem diminuir significativamente os resíduos espalhados em locais inadequados e fazer com que os materiais sejam aproveitados ao máximo.

As cores da coleta seletiva

Para realizar a coleta seletiva, o passo inicial é conseguir encontrar lixeiras adequadas para a separação dos resíduos. Há cores convencionais para cada tipo, que são as seguintes:

  • Azul: Papel e papelão;
  • Verde: Vidro;
  • Vermelho: Plástico;
  • Amarelo: Metal;
  • Laranja: Resíduos perigosos;
  • Preto: Madeira;
  • Branco: Resíduos ambulatoriais;
  • Roxo: Resíduos radioativos;
  • Marrom: Resíduos orgânicos;
  • Cinza: Resíduos não recicláveis.

Implantação da coleta seletiva

A coleta de lixo é uma responsabilidade municipal. Sendo assim, não são todos os municípios que realizam esse tipo de coleta. Por conta disso, a nível domiciliar, pode ser mais difícil conseguir implementar as medidas. Porém, a nível empresarial, pode ser mais fácil, visto que há empresas que atuam neste ramo, recolhendo os resíduos de determinados materiais e encaminhando às indústrias responsáveis pela reciclagem. Essas empresas são especializadas no processo, portanto atuam na recolha do lixo reciclável e no redirecionamento do mesmo.

As parcerias costumam ser vantajosas, já que os resíduos acabam gerando renda para as outras empresas. É mais uma vantagem da coleta seletiva: movimenta diversos mercados e ainda consegue estabelecer boas relações comerciais.

Viabilização da coleta seletiva

Para que a coleta seletiva seja de fato viável, é preciso que a população cobre um posicionamento maior do governo, sobretudo na esfera municipal. As vantagens das coletas seletivas são inúmeras, por isso o processo todo deve deixar de ser visto como um gasto para passar a ser visto como um investimento.

Se os governos conseguirem perceber isso, poderão passar a atuar na arrecadação de mais renda a partir da reciclagem, inclusive oferecendo benefícios fiscais à empresa e à população que pratica a coleta seletiva. No Brasil, atualmente, poucas cidades atuam com a coleta seletiva, dentre as quais se destacam: Curitiba, no Paraná, e Itabira, em Minas Gerais.

Postos de coleta seletiva

Há alguns projetos que envolvem postos de coleta seletiva. Algumas companhias de energia elétrica, por exemplo, aceitam alguns resíduos recicláveis e materiais inorgânicos que são levados por seus clientes. Em troca, os mesmos ganham descontos nas respectivas contas de energia.

Também há muitas organizações que são conhecidas por receber materiais recicláveis a fim de trabalhar com artesanato, por exemplo, no caso dos plásticos. Há muitas possibilidades de criação a partir de garrafas pets. Os pneus de carro gastos, da mesma forma, funcionam como um bom resíduo reaproveitável em oficinas de artesanato.

A importância da conscientização

Para encontrar algum projeto de coleta, é fundamental pesquisar sobre as organizações existentes em sua cidade. Como a coleta seletiva no Brasil ainda, infelizmente, não é uma regra como em outros países desenvolvidos, a população possui um papel essencial nesta luta.

É importante que cada um consiga fazer o seu papel e identificar desfechos mais favoráveis para o lixo que é produzido em casa. Para além disso, o ideal é refletir acerca do próprio lixo e tentar diminuir ao máximo os resíduos. Pequenas atitudes farão toda a diferença. Por exemplo, a utilização de um copo durável no ambiente de trabalho irá minimizar, em média, o descarte de 200 copos descartáveis ao lixo por ano. Se a empresa possuir, portanto, 10 funcionários, os números chegam à casa dos milhares. A reflexão é o melhor caminho!